Pesquisar
Close this search box.

Secretário da Saúde de Clevelândia ameaça vereadora

Imagem de destaque - Rascunho automático
Compartilhar

Na sessão da Câmara de Vereadores da segunda-feira (11), a vereadora Edivene Lúcia Ferri, (MDB), utilizou a tribuna para relatar ameaças recebidas do Secretário Municipal de Saúde, Rafael Barboza.

Segundo a vereadora, as ameaças ocorreram por meio de mensagens ofensivas no WhatsApp, após a parlamentar fazer apontamentos sobre o sistema de saúde municipal em outra sessão.

A vereadora expressou sua tristeza e constrangimento, destacando que o episódio ocorreu no Dia Internacional da Mulher, data que deveria ser comemorada. Lúcia lamentou a situação, ressaltando a importância da igualdade e repudiando a violência contra as mulheres.

No pronunciamento, ela contextualizou o Dia Internacional da Mulher, mencionou as estatísticas de feminicídios no Brasil e enfatizou a necessidade de ampliar as medidas protetivas às mulheres. Ela destacou o aniversário da data, reforçando que, após 113 anos, como representante eleita democraticamente, não se curvaria as ameaças.

Lúcia ressaltou a vergonha de ver um servidor público, ocupante do cargo de Secretário Municipal de Saúde, praticar crimes de ameaça, injúria e calúnia contra uma mulher, em uma cidade governada por uma mulher. Ela enfatizou que a misoginia deve ser combatida por todos, independentemente de ideologia.

A vereadora concluiu sua fala com uma mensagem de esperança, destacando a luta diária das mulheres por igualdade e encorajando a persistência.

Durante a sessão, os vereadores Pedro Kleininbing e Jorge Stedille manifestaram apoio à vereadora, repudiando as ações do Secretário de Saúde. O vereador Jorge citou ainda quais foram as ofensas e ameaças que a vereadora Lúcia sofreu, relatando que ela foi chamada de ”ingrata, aproveitadora, amarga, alienada, sem escrúpulos, feia, ingênua, sem credibilidade, sem confiança, ridícula e gentinha” além de citar as ameaças ”não cruze meu caminho, você não sabe com quem está se metendo, cuida o que fala e faz comigo, comigo as coisas são diferentes, não queira cruzar meu caminho”.

Mostrando o Boletim de Ocorrência registrado pela parlamentar, Jorge solicitou que entrasse em votação o requerimento para que o executivo exonere o Secretário que ocupa cargo de confiança, o requerimento foi aprovado recebendo votos contrários apenas dos vereadores Preto, Ratinho, Rádio e Deia. O voto da vereadora Deia contrário ao requerimento chamou atenção pelo fato de ela também ser mulher e ter entrado com Projeto de Lei para a criação da Procuradoria em Defesa das Mulheres na Câmara de Vereadores de Clevelândia ainda em 2021.

O caso que já foi registrado na Polícia Civil será investigado, enquanto a vereadora busca medidas administrativas e civis para proteger sua integridade e denunciar os atos sofridos.

Fonte: Clevelândia Online / Redação.

Imagem de destaque - ALEP
Imagem de destaque - TV A Folha