Pesquisar
Close this search box.

Queda significativa na gravidez na adolescência no Paraná

Imagem de destaque - Queda significativa na gravidez na adolescência no Paraná
Imagem de destaque - Rascunho automático
Compartilhar

O Paraná registrou uma redução de quase 30% na gravidez na adolescência entre 2019 e 2023, segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde. Os números mostram uma diminuição de mães adolescentes com até 19 anos, passando de 18.169 em 2019 para 12.769 em 2023, representando uma queda de 29,7%. Essa tendência de queda também é observada em nível nacional, com uma diminuição de 27,8% de nascimentos de mães adolescentes entre 2019 e 2023.

O enfrentamento da gestação precoce é uma das metas do Governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde (Sesa), que tem implementado a Linha de Cuidado Materno Infantil. Entre 2019 e 2023, houve uma redução gradativa no número de nascimentos de mães adolescentes, com 15.957 em 2020, 15.186 em 2021 e 13.656 em 2022. No entanto, apesar dos avanços, dados parciais de 2024 mostram que 3.960 bebês nasceram de mães com idades entre 15 e 19 anos nos primeiros cinco meses do ano.

A gravidez na adolescência continua sendo um desafio global, alinhado com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs) da ONU. Em 2023, dos 139 mil nascimentos registrados, 9% foram de mulheres entre 15 e 19 anos. A Linha de Cuidado Materno Infantil, atualizada em 2022, visa fortalecer a assistência à saúde das gestantes em todas as idades, abrangendo desde a Atenção Primária à Saúde (APS) até a Atenção Hospitalar (AH).

Além da redução na gravidez na adolescência, o levantamento da Sesa aponta para outras mudanças no cenário paranaense. Houve um aumento de 14,1% no número de mulheres entre 40 e 49 anos que optaram pela maternidade, passando de 5.052 em 2019 para 5.769 em 2023. Nos últimos cinco anos, o estado registrou o nascimento de 722.111 bebês, sendo 139.745 nascimentos em 2023 e 46.434 nascimentos até maio de 2024, evidenciando a importância de continuar monitorando e implementando ações para promover a saúde materno-infantil no Paraná.

Por Maria Rossetto (Jornalismo – Uningá).

Imagem de destaque - ALEP
Imagem de destaque - TV A Folha