Pesquisar
Close this search box.

Palmas terá Dia D de Vacinação contra a Poliomielite

Imagem de destaque - Rascunho automático
Compartilhar

No próximo sábado (08), irá ocorrer o Dia D de Vacinação contra a Poliomielite.  Pais e responsáveis devem reforçar a proteção das crianças menores de cinco anos contra a doença.

A coordenadora do Setor de Imunização de Palmas, Lucymari Costa, pontuou que será a última campanha da Pólio, com a “gotinha” de agora em diante deverá ser intramuscular atendendo o público alvo com 1 ano e três meses e 04 anos. “A vacinação será no quiosque da Praça Bom Jesus e na Unidade Móvel que também ficará na Praça, das 8h às 16h30, sem intervalo para almoço”, salientou ela.

Lucymari revelou que a Pólio já estava erradicada, porém, devido à falta da vacinação ou pelo atraso na vacina, foram constados casos em alguns países com a volta de novas doenças que já estavam erradicadas, e a Poliomielite é uma delas.

Pontuou também que estarão sendo realizadas outras vacinas, entre elas a da Gripe, Covid e outras, atendendo crianças, a partir dos seis meses até 4 anos 11 meses e 29 dias (vacina Pólio) e adultos. “É o momento de colocar a Carteira de Vacinação em dia”.

Estimativa

No Paraná, a expectativa é que 717.915 crianças menores de cinco anos recebam a dose. Aquelas menores de um ano (139.732) deverão ser vacinadas conforme a situação vacinal atual para o esquema primário (três doses da vacina inativada poliomielite – VIP). As crianças de um a quatro anos (578.183) devem ser vacinadas indiscriminadamente com a vacina oral poliomielite (VOP), desde que já tenham recebido o esquema primário de três doses com VIP.

As vacinas VIP e VOP são diferentes entre si. Embora as duas imunizem contra a poliomielite, a VIP é injetável, com três cepas, poliovírus 1, 2, 3, feita apenas com partículas do vírus, enquanto a VOP, que é a de gotinhas, é feita com o vírus enfraquecido, com duas cepas, polivírus 1 e 3. Esta será a última campanha de vacinação contra a Poliomielite com a vacina oral.

Objetivo

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite tem como objetivos conter o risco de reintrodução do poliovírus, alcançar alta e homogênea cobertura vacinal e manter o País livre da doença, uma vez que recebeu a classificação de alto risco para a reintrodução do poliovírus selvagem pela Comissão Regional para a Certificação da Erradicação da Poliomielite na Região das Américas (RCC), em 2023.

Para essa classificação foram considerados o desempenho das coberturas vacinais, dos indicadores de vigilância epidemiológica das Paralisias Flácidas Agudas (PFA), entre outros.

Documentos

Cartão SUS e Carteira de Vacinação.

Imagem de destaque - ALEP
Imagem de destaque - TV A Folha