Pesquisar
Close this search box.

Mostra Cultural reuniu convidados e quilombolas de Palmas

Imagem de destaque - Rascunho automático
Compartilhar

Na sexta-feira (17), o Colégio Estadual Quilombola Maria Joana Ferreira, localizado no bairro São Sebastião do Rocio foi palco da XIV Mostra Cultural Pedagógica da Consciência Negra.

O evento foi em comemoração e reflexão ao Dia Nacional da Consciência Negra (20 de novembro).

Realizaram as atividades os alunos da escola representando a questão cultural das três comunidades de Palmas, Adelaide Maria da Trindade Batista (Rocio), Castorina Maria da Conceição (Fortunato) e Tobias Ferreira (Pitanga).

A diretora da instituição, Sônia Regina Boese da Silva explicou que o evento serve para mostrar a comunidade os trabalhos que iniciaram sua produção no início de novembro, com a participação dos professores, alunos, colaboradores e equipe diretiva. Comentou também que em todo o Estado, existem apenas dois colégios quilombolas, um é em Palmas. Também agradeceu a TVA pela divulgação do evento e a participação dos pais, alunos e professores.

“A oficina é uma evolução do trabalho dos últimos 03 anos das disciplinas de Química e Biologia. Primeiro, a extração dos óleos essenciais para a produção de velas, sabonetes aromáticos, incensos e defumações. Essa questão fortalece a questão cultural do quilombo”, esclareceu o professor Bruno Cabral.

“Coletamos as ervas medicinais nos quilombos, elaboramos os produtos e preparamos os alunos para o mercado de trabalho”, acrescentou, Daniane Cristina Chenet.

“É prazeroso e gratificante ensinar a Capoeira, os alunos gostam muito, são entre 60 a 80 alunos, contemplando várias faixas etárias. Esse projeto é interdisciplinar”, disse o professor Fabio Henrique Fortunato.

“Um trabalho gratificante para mostrar a questão cultural com as tranças, representa uma arte muito bonita”, comentaram as alunas da oficina de Cabelo, Sara Nascimento e Karen Manoela.

 

Imagem de destaque - ALEP
Imagem de destaque - TV A Folha