Pesquisar
Close this search box.

Bruninha comenta sobre a emoção de participar da Copa do Mundo e ser campeã pela equipe nos EUA

Imagem de destaque - Rascunho automático
Compartilhar

Bruna Santos Nhaia, mais conhecida como Bruninha, lateral direita da Seleção Brasileira e do Ghotam FC, equipe dos Estados Unidos, esta de férias em Palmas, onde residem seus pais. Aproveitando a oportunidade, a atleta concedeu entrevista a TVA e ao Jornal A Folha do Sudoeste.

 

Comentou que as expectativas para o próximo ano são as melhores possíveis através de muito trabalho e dedicação. “Venho de outras convocações com o outro treinador da Seleção (Arthur Elias). Grande parte do grupo estava na Copa do Mundo e também ocorreu a integração de novas atletas. Espero que essa próxima temporada seja ainda melhor do que essa que passou”, destacou ela e ressaltou que foi uma surpresa sua primeira convocação para a Copa do Mundo, “a expectativa era grande de um dia atuar pela Seleção Brasileira e também participar das Olímpiadas, um grande sonho de todas as atletas. Eu, sonhava com isso, não imagina que iria acontecer tão cedo, tão nova, com 21 anos”.

Lembrou ainda que em sua estreia pela Seleção estava ansiosa e não acreditava no que estava ocorrendo, “assistia às entrevistas no meu quarto e as pessoas falando sobre a gente, sobre mim e a movimentação do futebol feminino. Desde o primeiro momento me emocionei muito com o calor da torcida, muitos brasileiros. Estrear pela Seleção em uma Copa do Mundo foi um sonho realizado”, pontuou a atleta e assinalou que após este evento esportivo seu trabalho veio numa crescente, foi campeã da NWSL pelo seu clube o Ghotam FC e foi convocada novamente para a Seleção.

Transição 

Revelou também que sua maior dificuldade quando foi para os Estados Unidos na questão da linguagem, “adaptação em si para mim foi mais fácil, a recepção das meninas da equipe foi incrível, é uma característica delas e sabem as dificuldades que os imigrantes enfrentam. No futebol, me senti leve, solta, os americanos gostam da diversidade do brasileiro. Outra questão também foi a força física das jogadoras, algo que precisava melhorar para evoluir profissionalmente”.

Futebol Feminino Brasileiro

Bruninha revelou que futuramente tem a intenção em jogar novamente no futebol brasileiro, “a modalidade vem crescendo muito, não fecho as portas para lugar nenhum. Outras meninas que jogaram na Europa e outros países voltaram ao Brasil dando muito mais qualidade. Com certeza espero voltar”.

Tietagem

Alegre, a atleta, comentou que lida normalmente com essa situação, “fico muito feliz com as pessoas que me acompanham, torcem por mim, não apenas para minha imagem, mas também para o futebol feminino brasileiro”.

Imagem de destaque - ALEP
Imagem de destaque - TV A Folha