Pesquisar
Close this search box.

Vídeo: Colheita da maçã palmense movimenta a questão econômica do município

Imagem de destaque - Rascunho automático
Compartilhar

Palmas é um dos maiores produtores de maçã do Paraná, a colheita da cultivar Eva (precoce), iniciou dia (26) de dezembro. Posteriormente, a fruta é classificada e comercializada. A estimativa da safra 2023/24 é mais de 5,6 mil toneladas.

O diretor da Associação Brasileira dos Produtores de Maçã, (ABPM), Ivanir Dalanhol, esclareceu que são produzidas nos pomares do município três variedades, a Eva, Gala (intermediária – colheita em fevereiro) e a Fuji (um ciclo mais longo, colheita final de março, início de abril). “Neste pomar com 40 hectares, para colher a variedade Eva, temos cerca de 40 funcionários. Quando se inicia a colheita da maçã aumenta o número de empregos, isso é importante para o município”, destacou ele.

Comercialização

Revelou que a venda da fruta palmense é para o Brasil todo, “vai até para Manaus em uma câmara fria e também para outros Estados. Vendemos pouco para Curitiba que compra de Fraiburgo (SC) devido à proximidade”.

Colheita

Dalanhol, acrescentou que nessa área o volume de fruta foi menor, em função das chuvas, “quando chove na época da florada, não ocorre a polinização, diante disso, tem menos frutos, na Gala e na Fuji, já na Eva não ocorre porque é precoce, floresceu antes das chuvas, teve uma safra normal”.

Ciclo

Ele assinalou que apesar de ter ocorrido diminuição na área plantada dos pomares, a cultura ainda permanece, “estamos seguindo, plantamos alguns pomares nos sistemas mais modernos, adensados, uma fruta com qualidade melhor, mais cor, resistente as doenças”.

Imagem de destaque - ALEP
Imagem de destaque - TV A Folha