Pesquisar
Close this search box.

Segundo números do IBGE – ampla maioria dos palmenses residem em residências

Imagem de destaque - Rascunho automático
Compartilhar

Dados detalhados sobre as características dos domicílios divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que 13,2% da população do Paraná reside atualmente em apartamentos. A porcentagem é quase o dobro da que foi registrada pelo Censo de 2010 no Estado, quando a proporção deste tipo de imóvel representava 7,1% do total, o que confirma o processo de verticalização das moradias, seguindo uma tendência nacional.

O Paraná ocupa a 9ª colocação entre os estados que possuem maior proporção da população residente em apartamentos. O ranking é liderado pelo Distrito Federal, com 34,2%, seguido pelo Rio de Janeiro (22,3%), Santa Catarina (21,8%) e São Paulo (20%). O índice estadual é levemente menor do que a média nacional, que é de 14,8%.

Segundo o analista do IBGE, Bruno Perez, o aumento expressivo de apartamentos no Brasil em relação ao último Censo reflete uma concentração da população nos grandes centros urbanos. “Essa verticalização é uma resposta ao adensamento da população dos municípios, principalmente nas áreas de região metropolitana e nos centros das cidades maiores”, afirma.

Em nível estadual, as cidades com maior concentração de pessoas morando em apartamentos são Curitiba, com 33,6% da população, Londrina (29,6%), Maringá (29,1%), São José dos Pinhais (23%) e Cascavel (21,4%). Dos 399 municípios paranaenses, 47 não possuem pessoas residindo em apartamentos.

Por outro lado, a porcentagem de pessoas que residem em casas no Paraná caiu nos últimos 12 anos, passando de 91,6% no Censo de 2010 para 84,3% no Censo de 2022. Apesar da queda, o Paraná permanece a ser o estado com mais pessoas que moram neste tipo de imóvel, a frente do Rio Grande do Sul, com 79,7%, e de Santa Catarina, com 77,2%.

De acordo com os critérios utilizados pelo IBGE, também são considerados na lista 2,3% de pessoas residentes em casas dentro de vilas ou condomínios fechados. Há ainda um residual de 0,09% de moradores vivendo em cômodos ou cortiços e de 0,02% em estruturas degradadas ou inacabadas, o que coloca o Paraná entre os estados com menor proporção deste tipo de domicílio no Brasil.

Banheiros

Os dados do IBGE também apontam uma melhoria nas condições sanitárias dos imóveis do Paraná. Atualmente, 99,73% dos domicílios possuem banheiro exclusivo, o sétimo melhor índice entre os estados brasileiros e acima da média nacional, que é de 98,1%. Deste montante, 64,46% das casas têm um banheiro, 27,21% contam com dois banheiros, 5,98% têm três banheiros e 1,9% têm quatro banheiros ou mais.

Dados de algumas cidades do Sudoeste

Palmas: domicílios: 16.310; residentes em casas, 92,0%; residentes em apartamentos: 5,5%;

Francisco Beltrão: domicílios: 36.858; residentes em casas, 83,0%; residentes em apartamentos: 15,8%;

Pato Branco: domicílios: 34.318; residentes em casas, 79,1%: residentes em apartamentos:  19,1%;

Clevelândia: domicílios: 5.309; residentes em casas, 96,4%; residentes em apartamentos 3,3%;

Cel Domingos Soares: domicílios: 2006; residentes em casas, 96,2%; residentes em apartamentos: 1,1%;

Mangueirinha: domicílios: 5.914; residentes em casas, 97,0%; residentes em apartamentos: 2,8%;

Mariópolis: domicílios: 2.417; residentes em casas, 97,0%; residentes em apartamentos: 2,9 %.

Imagem de destaque - ALEP
Imagem de destaque - TV A Folha