Pesquisar
Close this search box.

Ratinho Jr anuncia a revitalização em concreto da PRC-280 entre Palmas e Pato Branco

Imagem de destaque - Rascunho automático
Compartilhar

O governador Carlos Massa Ratinho Junior lançou a pedra fundamental da restauração da PRC-280 entre Palmas e Clevelândia. A obra é orçada em R$ 188 milhões e consiste na instalação de um pavimento rígido de concreto nos 45 quilômetros da rodovia que separam os dois municípios, dentro de um projeto mais amplo de revitalização de um dos principais corredores logísticos da Estado.

 

Ratinho Jr também anunciou a continuidade do projeto com a pavimentação em concreto até Pato Branco, dentro do mesmo modelo. O novo lote de obras, cujo edital de licitação já foi publicado, contempla os 37 quilômetros de distância entre as duas cidades do Sudoeste do Paraná. A previsão é que, após concluída a licitação, o contrato tenha duração de 15 meses, sendo três para a elaboração dos projetos e 12 para a execução das obras.

As duas etapas se somam a uma anterior, de 60 quilômetros, já concluída entre Palmas e o Trevo Novo Horizonte, no acesso à BR-153. Ao todo serão 142 quilômetros de pavimentação em concreto na PRC-280.

“O primeiro trecho que inauguramos já trouxe mais segurança aos caminhoneiros e aos demais motoristas que trafegam pela rodovia, reduzindo drasticamente os acidentes”, disse o governador. “Com a oferta de melhores condições logísticas, também incentivamos a instalação de novas indústrias na região, o que contribui com a geração de mais empregos e o desenvolvimento da economia dos municípios”.

A tecnologia utilizada pelo Governo do Paraná se inspira em um modelo amplamente adotado na Alemanha e nos Estados Unidos e tem despertado o interesse de outros estados, segundo Ratinho Junior. “Depois de concluída, a nova PRC-280 vai se transformar em um dos mais modernos corredores logísticos do Brasil. Isso tem despertado, inclusive, a visita de técnicos de Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo ao Paraná para conhecer o modelo construtivo”, declarou.

Segundo o secretário de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, as obras vão garantir a boa qualidade do trânsito na região pelo menos pelas próximas duas décadas. “Esta é uma solução moderna, que dará mais mobilidade e segurança viária para uma estrada que ao longo das últimas décadas só recebeu obras de tapa-buraco”, argumentou.

“Após a licitação do terceiro trecho, as duas obras vão ser tocados praticamente de forma simultânea em 2024. Como a concorrência acontece com regime de Contratação Integrada (CI), não podemos falar ainda em valores para o trecho que ainda será licitado, mas os 142 quilômetros que serão revitalizados no total representam um investimento de R$ 500 milhões a R$ 600 milhões do Governo do Estado”, concluiu o secretário.

Concreto 

Em todo o percurso, a revitalização do pavimento é feita por meio da técnica conhecida como whitetopping, em que o recapeamento é feito com concreto. Neste procedimento, a estrutura de asfalto existente na estrada é aproveitada como base para a reforma da pista.

A técnica é considerada uma solução mais ágil do que a substituição total do pavimento, já que a aplicação é mais rápida. O material também é mais durável e resistente, com vida útil estimada de 20 anos, o que representa o dobro da durabilidade da pavimentação asfáltica tradicional.

Estas características são uma escolha mais adequada para comportar o alto tráfego da região, composto principalmente por caminhões e veículos pesados que escoam a produção de grãos e proteína animal do Oeste e Sudoeste do Estado até o Porto de Paranaguá.

As duas obras preveem a recuperação do pavimento nas faixas de 3,50 metros de largura em cada sentido, além de acostamentos de 2,50 metros. Também estão previstas terceiras faixas em concreto em alguns pontos, com objetivo de dar maior segurança aos motoristas e adequá-la ao aumento de tráfego previsto para os trechos.

Região em Desenvolvimento

O Sudoeste do Paraná tem três cidades no “clube do bilhão” do Valor Bruto de Produção Agropecuária (Francisco Beltrão, Pato Branco e Mangueirinha) e Clevelândia com mais de R$ 670 milhões. Também é um polo de inovação, industrial e universitário.

Na avaliação do secretário estadual do Planejamento, Guto Silva, a revitalização da PRC-280 é um marco histórico para a região. “O Sudoeste sempre teve problemas topográficos por ser muito acidentado, e que por isso carecia de grandes investimentos para mudar essa realidade. A pavimentação em concreto, com uma tecnologia inovadora, da rodovia que é o eixo central da região, é a garantia para que as cidades continuarão a se desenvolver economicamente”, pontuou.

Para a prefeita de Clevelândia, Rafaela Losi, a nova PRC-280 tem um efeito econômico muito importante para o Sudoeste do Estado, mas que não se restringe à região. “Esta rodovia por décadas esteve em más condições, sem receber uma verdadeira restauração. Essa nova estrutura vai contribuir com o escoamento da produção do agronegócio do Sudoeste e Oeste e até dos estados vizinhos que passam por aqui com destino ao Porto de Paranaguá, o que deve atrair mais investidores para a nossa região”, comentou.

Imagem de destaque - ALEP
Imagem de destaque - TV A Folha