Pesquisar
Close this search box.

Governador libera R$ 13,8 milhões para inovação e acessibilidade nos municípios

Imagem de destaque - Rascunho automático
Compartilhar

O governador Carlos Massa Ratinho Junior anunciou nesta terça-feira (28) um pacote de investimentos de R$ 13,8 milhões para projetos de inovação nos municípios. As iniciativas são coordenadas pela Secretaria de Estado da Inovação, Modernização e Transformação Digital (Sei) e envolvem o uso de bancos de dados digitais para aproximar prefeituras de investidores, a criação de espaços de coworking abertos à comunidade local, a compra de equipamentos para acessibilidade de deficientes visuais e a instalação de salas multissensoriais para crianças e adolescentes dentro espectro autista.

Ratinho Junior lembrou que o Paraná foi considerado por dois anos consecutivos como o Estado mais inovador do Brasil por um estudo conduzido pela consultoria especializada Bright Cities. Segundo ele, os investimentos no setor tornam o poder público mais eficiente, ao mesmo tempo em que preparam os municípios e as novas gerações para um mundo cada vez mais tecnológico e dinâmico.

“Com essas iniciativas tecnológicas, estamos ajudando os municípios a atraírem novos investimentos, mas sobretudo avançando no atendimento às nossas crianças e adolescentes que possuem deficiências ao oferecer o que há de melhor e mais moderno no mundo em equipamentos de acessibilidade”, afirmou o governador.

“Investir em inovação permite que a nossa sociedade possa continuar a crescer e se desenvolver, e quando eles estão aliados à educação, permitindo inclusive a integração das crianças e adolescentes com deficiência, isso os prepara para um mercado de trabalho cada vez mais voltado para uso de novas tecnologias”, acrescentou.

O secretário estadual da Inovação, Modernização e Transformação Digital, Marcelo Rangel, afirmou que os investimentos no setor ajudam a alavancar iniciativas de várias áreas do poder público. “A inovação está presente em setores como a educação, a saúde, a infraestrutura e a desburocratização das atividades do Estado, oferecendo serviços mais eficientes e mais oportunidades aos jovens, idosos, crianças e, neste momento, com uma ênfase também no atendimento às pessoas com deficiência”, disse.

ACESSIBILIDADE – A maior parcela do investimento anunciado pelo Governo do Estado, de R$ 5,4 milhões, foi destinado à compra de 100 displays táteis inteligentes. Trata-se de uma espécie de tablet que transforma conteúdos visuais de qualquer fonte em linguagem braile em tempo real.

Ao usarem o tato, os usuários cegos ou com baixa visão podem interagir com as imagens e representações visuais com mais exatidão do que apenas com o sistema de audiodescrição. O objetivo é dar mais autonomia aos deficientes visuais, que terão mais condições de interpretar gráficos, mapas, tabelas e outros tipos de imagens.

A tecnologia foi importada da Coreia do Sul, após uma visita de uma delegação do Paraná liderada pelo governador ao país em 2023, quando o equipamento ainda estava em fase de desenvolvimento. Com isso, o Governo do Estado se tornou o primeiro ente público do mundo a implantar os displays.

O secretário estadual da Educação, Roni Miranda, informou que os equipamentos serão disponibilizados pela pasta a cinco Centros de Apoio Pedagógico para Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual (CAPs), 13 Centros de Atendimento Educacional Especializado na Área Visual e 82 salas de recursos multifuncionais.

“Esse é um trabalho conjunto entre as secretarias da Educação e Inovação que reforça a inclusão aos estudantes da rede estadual de ensino, que terão mais uma ferramenta para auxiliar na compreensão de textos e imagens. Isso é um ganho de acessibilidade e uma transformação na vida dessas crianças e adolescentes”, disse.

TERAPIA SENSORIAL – Outros R$ 2 milhões serão destinados para a instalação de salas multissensoriais para que equipes municipais prestem atendimento a crianças e adolescentes com transtorno do espectro autista ou outros transtornos neurológicos em dez municípios: Bandeirantes, Cândido de Abreu, Cianorte, Cornélio Procópio, Fazenda Rio Grande, Irati, Ivaiporã, Londrina, Palmeira e Ponta Grossa.

O dinheiro será usado na compra de equipamentos e materiais, serviços de instalação, montagem e treinamento da equipe que vai operar o espaço. As salas, cedidas pelos municípios, serão equipadas com software integrados ao espaço e aos equipamentos da terapia, permitindo dimensionar e controlar os estímulos sensoriais, o que inclui iluminação suave, cores agradáveis, texturas diversas, sons calmantes e outros elementos interativos.

As prefeituras deverão elaborar atividades que permitam ao público explorar e processar sensações de maneira gradativa em um ambiente controlado.

De acordo com o prefeito de Cândido de Abreu, Renan Romanichen, a sala multissensorial que será montada na cidade, na região Central do Estado, atenderá também a população de localidades vizinhas. “Os municípios precisam criar estruturas para prover um atendimento adequado de saúde e educação para as crianças no espectro autista, por isso abriremos as portas para as 16 cidades que compõem o nosso consórcio intermunicipal”, disse.

ATRAÇÃO DE INVESTIMENTOS – Cerca de R$ 4,9 milhões estão sendo investidos pela SEI com o apoio da Invest Paraná no fomento ao investimento privado em 64 cidades em uma primeira etapa de um projeto de transformação digital dos municípios paranaenses. A iniciativa envolve a aquisição de licenças de softwares para estruturação e análise de bancos de dados públicos para auxiliar empreendedores interessados em investir nos municípios.

A plataforma digital captura e armazena dados abertos e de domínio público. As administrações municipais poderão cadastrar informações como incentivos fiscais, disponibilidade de terrenos e imóveis para instalação de empresas e o nível de qualificação da mão de obra da cidade. Na outra ponta, as empresas registrarão na ferramenta as suas necessidades para operar, como, por exemplo, a quantidade de empregados e o tamanho da estrutura necessária para se instalar no município.

Segundo o presidente da Invest Paraná, Eduardo Bekin, o órgão vem ampliando o uso de sistemas de processamento de grandes bancos de dados e algoritmos para alavancar investimentos desde 2020. “São ferramentas que permitem efetuar buscas e análises detalhadas e a proposta é levá-las aos municípios para que eles também possam ser mais assertivos na atração de investimentos do setor privado ao fornecer informações relevantes para a tomada de decisão dos empresários”, explicou.

A iniciativa é regulamentada pela SEI e prevê o atendimento de municípios com Índice de Desenvolvimento Humano-Municipal (IDH-M) de até 0,699 (medida composta de indicadores sobre longevidade, educação e renda em nível municipal), ou que possuam leis municipais voltada à inovação.

Ipiranga, na região dos Campos Gerais, é uma das cidades que já aderiu ao projeto. Na avaliação do prefeito Douglas Cruz, a atuação do Governo do Estado tem sido fundamental para que os pequenos municípios adotem soluções inovadoras. “Colocamos no banco de dados tudo que o município tem a oferecer para as empresas, que em contrapartida ao se instalarem podem criar empregos e aumentar a renda da população, algo essencial para os pequenos municípios”, comentou.

Com informações AEN

Imagem de destaque - ALEP
Imagem de destaque - TV A Folha