Pesquisar
Close this search box.

Diretores da Adjori-PR visitam Itaipu Binacional

Imagem de destaque - Rascunho automático
Compartilhar
o dia 27 de setembro, o vice-presidente da Adjori-PR e diretor do Jornal Novo Tempo de Santa Izabel do Oeste e Francisco Beltrão, Sérgio Jonikaites acompanhado do adjoriano e diretor do Jornal O Trombeta de Capanema, Carlos Cesar Martine estiveram na Itaipu Binacional, em Foz do Iguaçu onde levaram aos diretores da líder mundial na geração de energia limpa, o empenho da entidade paranaense de jornalismo impresso e com plataformas digitais de aumentar a parceria e junto com o propósito de sustentabilidade, estar difundindo o projeto em todo o Estado do Paraná.
Por motivo de viagem à Brasília e evento em Ponta Grossa, o diretor presidente da Itaipu, Enio Verri receberá os diretores em outra oportunidade, ainda no ano de 2023, pois a Itaipu Binacional precisa que o Estado todo conheça a sua potencialidade e a parceria com os municípios paranaenses e sulmatogrossense e é claro, com o Brasil.
Sérgio e Carlos foram recebidos pelo coordenador de projetos, o beltronense Eduardo Scirea e por Luciano da Silva, que representaram o diretor de coordenação da Itaipu, o capanemense Carlos Carboni e o presidente Enio Verri, acolhendo os pleitos dos diretores adjorianos e se colocando a disposição da entidade para uma grande parceria informativa em todo o Estado.
Scirea destacou os programas que a Itaipu vem realizando em praticamente todos os municípios paranaenses e sulmatogrossenses. “A Itaipu lançou o programa Itaipu Mais que Energia, para financiamento de projetos sociais, ambientais e de infraestrutura, recebeu 1.300 propostas de 431 dos 434 municípios que fazem parte da sua área de atuação. Todos os 35 do Mato Grosso do Sul (MS) e 396 municípios do Paraná (PR) enviaram ao menos um projeto. Apenas três cidades paranaenses não cadastraram nenhuma proposta para receber investimentos. O processo foi todo online, com suporte das equipes técnicas da Itaipu e foi apresentado para acompanhemanro em tempo real. Enquanto acontecia a reunião, 11 municípios se cadastraram no Programa.
Pelo edital do programa, as prefeituras poderiam cadastrar uma série de atividades dentro de cada proposta, com a obrigatoriedade de contemplar ao menos a proteção de nascentes e implantação de um biodigestor de pequeno porte. A partir destas duas atividades, os municípios tinham liberdade para escolher uma lista de diversas possibilidades, como, por exemplo, a implantação de sistemas fotovoltaicos, a adequação de estradas rurais ou aquisição de equipamentos de coleta seletiva, entre outras.
Ao todo foram cadastradas 9.449 atividades dentro das 1.300 propostas. Como as prefeituras poderiam cadastrar mais de um eixo de atuação, o total de projetos foi de 2.405, sendo 308 em energia renovável; 825 em saneamento ambiental; 828 em manejo integrado de água e solo; e 444 em obras sociais, comunitárias e de infraestrutura. Em média, cada prefeitura cadastrou sete atividades, já considerando as duas obrigatórias.
O total de pedidos soma mais de R$ 2,4 bilhões e como o recurso disponível é de R$ 931,5 milhões, haverá uma triagem das propostas.
De acordo com o superintendente de Obras e Desenvolvimento da Diretoria de Coordenação da Itaipu, Kleber da Silva, o trabalho da equipe será, agora, avaliar cada uma das atividades para verificar se não há repetição e se todas atendem aos critérios obrigatórios, inclusive de georreferenciamento.
“Os pedidos que estiverem segundo o edital serão submetidos para aprovação interna e uma nova avaliação sobre os critérios de projetos e valores será feita. Essa segunda etapa irá filtrar os projetos com base na prioridade de atendimento estabelecida no edital, a prioridade solicitada pelos municípios nas suas propostas, a avaliação de quais propostas são as mais aderentes aos objetivos estratégicos da Itaipu e, ainda, conforme os valores disponíveis”, explica. A lista dos projetos selecionados deve sair no dia 30 de outubro.
Segundo o superintendente, o sistema online de cadastro das propostas é inteligente e permitirá, após a aprovação, o acompanhamento e fiscalização da aplicação dos recursos e desenvolvimento dos projetos. E ele traz ainda possibilidade de conhecer as prioridades das prefeituras. “A fase de cadastro de propostas trouxe para a Itaipu um diagnóstico muito amplo das necessidades dos municípios. A partir de agora, podemos discutir com um olhar técnico e estratégico como a empresa pode contribuir com melhorias dentro do seu território de influência”, destaca Kleber.
“A Itaipu, acima de tudo, está com uma proposta de diálogo e de desenvolvimento com os municípios e pela vasta adesão ao programa, a proposta foi entendida e aceita pelos gestores municipais”, destacou Scirea.
Com Informações Jornal Novo Tempo
Imagem de destaque - ALEP
Imagem de destaque - TV A Folha