Pesquisar
Close this search box.

Adolescente de 16 anos mata família e mantém os corpos em casa por três dias

Imagem de destaque - Rascunho automático
Compartilhar

Um adolescente de 16 anos foi apreendido após matar o pai, de 57 anos, a mãe, de 50, e a irmã, também de 16, na Zona Oeste de São Paulo, na última sexta-feira (17). Ele disse que havia cometido o crime porque estava com raiva dos pais por tomarem seu celular. Segundo ele, na quinta-feira (16) os pais “o teriam chamado de vagabundo, tiraram seu celular e, não podendo [o adolescente] usar o aparelho para fazer uma apresentação da escola, planejou a morte”, segundo consta no boletim de ocorrência.

O crime aconteceu dentro da casa em que a família vivia, onde o jovem permaneceu com os corpos até o domingo, quando acionou a Polícia Militar.

Família é morta por adolescente em casa da zona oeste da capital paulista Reprodução/Google Street View

Desentendimentos com os pais

Os corpos de Isac Tavares Santos, Solange Aparecida Gomes e Letícia Gomes Santos já estavam em decomposição e tinham marcas de tiros. Em depoimento, o adolescente teria dito que sempre teve desentendimentos com os pais, que eram adotivos, e que estava com raiva deles.

Quem acionou a polícia?

Foi o próprio adolescente quem acionou a polícia e confessou o crime na noite deste domingo. Em relato aos agentes, ele afirmou ter usado a arma do pai, que era membro da Guarda Civil de Jundiaí, para efetuar os disparos contra ele, a mãe e a irmã, na sexta-feira. O pai e a irmã foram mortos primeiro, e o adolescente ainda teria ido à academia antes de matar a mãe.

Segundo a PM, ele foi apreendido por homicídio e feminicídio, e o caso foi registrado no 33º DP (Pirituba) como ato infracional de homicídio e feminicídio; ato infracional de posse ou porte ilegal de arma de fogo e ato infracional de vilipêndio a cadáver.

O que aconteceu com a arma usada no crime?

A arma usada no crime e o celular do adolescente foram apreendidos, e a perícia foi acionada. O autor do crime foi conduzido à delegacia e, em seguida, levado para a Fundação Casa.

Com informações G1/São Paulo e O Globo

Imagem de destaque - ALEP
Imagem de destaque - TV A Folha